Ambulatório Nutricional de Dieta Cetogênica para Pacientes com Epilepsias Farmacorresistentes do HU/UFSC

Hospital Universitário dispõe de ambulatório especializado no tratamento nutricional com Dieta Cetogênica a pacientes adultos com epilepsias farmacorresistentes.

O tratamento da epilepsia é um desafio para os profissionais de saúde, especialmente nos casos de pacientes que possuem quadros severos que não respondem ao tratamento convencional disponível, considerados farmacorresistentes ou refratários. Neste sentido, a Dieta Cetogênica é uma possível ferramenta nutricional para auxiliar no controle de crises epilépticas em pacientes pediátricos e adultos. No entanto, poucos são os centros especializados para esta prática no Brasil, especialmente pelo SUS. Porém, esta realidade está mudando em Florianópolis. Desde setembro de 2017, foi implantado o Ambulatório de Dieta Cetogênica do Serviço de Neurologia do HU/UFSC. Idealizado pela Profa. Katia Lin do Curso de Graduação em Medicina e Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas da UFSC, em parceria com as Profas. Débora Kurrle Rieger Venske, Júlia Dubois Moreira e Letícia Carina Ribeiro do Departamento de Nutrição, além de outros profissionais da saúde do HU/UFSC e alunos de graduação e Pós- Graduação da UFSC, este ambulatório veio trazer mais um recurso no tratamento das epilepsias farmacorresistentes. A equipe foi previamente capacitada para tal, bem como o desenvolvimento de receitas e cardápios específicos para este tipo de dieta, de forma a tornar a experiência nutricional do paciente o mais agradável possível. Para maiores informações, entre em contato pelo email dietacetogenicahuufsc@gmail.com, ou pelos telefones 3712-2218 (Profa. Júlia), 3721-2783 (Profa. Letícia) e 3721-2894 (Profa. Débora).

Para saber um pouco mais sobre o tratamento cetogênico, recomendamos assistir ao FilmePela Vida do Meu Filho” , disponível no Youtube, na íntegra, com legendas em português.

Direção: Jim Abrahams
Título original: First Do No Harm
Sinopse: Quando Lori Reimuller (Meryl Streep) descobre que seu filho mais novo tem epilepsia, ela resolve investir em um tratamento médico convencional para tentar controlar as crises do menino. À medida que a saúde do jovem Robbie (Seth Adkins) começa a piorar, ela também começa a desconfiar da eficiência do hospital e dos médicos, e passa a se sentir frustrada. Ela resolve então tentar um tratamento alternativo chamado Dieta Cetogênica, só que é confrontada pelo médico de Robbie, que não quer deixá-la usar a dieta como tratamento. Desesperada, ela vai enfrentar o médico e depositar todas as esperanças em uma método ainda pouco conhecido.