30 de agosto – Dia Nacional da Esclerose Múltipla

 

A esclerose múltipla (EM) é uma doença que afeta a mielina, responsável pela condução nervosa no sistema nervoso central. EM pode comprometer diferentes partes do cérebro e da medula espinal em diferentes momentos ou épocas e esses acometimentos são chamados de surtos que acarretam uma variedade de sinais e sintomas (paralisias, dormências, tonturas…). O curso clínico da doença é caracterizado mais frequentemente por surtos, seguidos de períodos de remissões (melhoras). A cada surto o paciente pode ter uma recuperação completa ou ficar com algum déficite ou sintoma. Não é uma doença fatal e muitos pacientes levam uma vida normal. Porém a presença de novos sintomas e a somatória de antigos sintomas, além da evolução incerta, pode interferir de várias maneiras na vida do paciente. Apesar de existirem muitas dúvidas sobre a origem da esclerose múltipla, muito já se sabe sobre a imunologia da doença, o que tem possibilitado a descoberta de medicamentos que controlam sua evolução e com certeza em breve, o seu completo domínio. Nós acreditamos que os próximos anos são promissores para novos progressos e no nosso ambulatório de EM do HU/UFSC nós estamos atualizados com essas mudanças visando dar o melhor tratamento possível aos nossos pacientes.